Alstom pretende construir ônibus elétricos para exportação

0
37
Funcionários trabalhando na linha de produção da Alstom, na unidade localizada em Taubaté. Foto: /Rogério Marques/OVALE

A Alstom quer construir ônibus elétricos em Taubaté e exportar o modelo para a América Latina e o mundo.

No futuro, a meta é produzir na cidade o veículo feito na Europa, o Aptis, que tem o desenho inspirado no VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) e surgiu como alternativa para sistemas de mobilidade urbana.

Quer importar ou exportar? Entre em contato com o Grupo Serpa

Atualmente com 120 trabalhadores, a fábrica de Taubaté é a primeira a construir VLT na América Latina e teria que passar por adaptações para produzir os ônibus elétricos, projeto que está nos planos da Alstom.

“Ônibus elétrico é uma realidade no mundo. Há cidades exigindo que a frota seja elétrica. Há demanda de mercado e pretendemos trazer esse projeto para Taubaté”, disse Pierre-Emmanuel Bercaire, diretor geral da Alstom no Brasil.

A unidade do Vale do Paraíba foi inaugurada em 2015 com 17 mil metros quadrados de área construída e investimento de R$ 50 milhões. Hoje, a unidade opera com metade da capacidade produtiva ociosa.

Após dois anos sem pedidos, a fábrica abriu uma nova linha neste ano para produzir 166 caixas de aço inoxidável (vagões) para o metrô de Santiago, no Chile.

RITMO.

Com um turno de trabalho, segundo Lourival Rabelo, diretor industrial da unidade de Taubaté, o ritmo é de uma caixa a cada cinco dias, prazo que deve cair para uma a cada três dias. A produção segue até 2021.

“Entregaremos em janeiro de 2019 a primeira caixa do metrô totalmente montada aqui em Taubaté”, disse.

A Alstom está em negociação para fundir seus negócios com a alemã Siemens, o que deve ocorrer em 2019. Segundo Bercair31e, a nova companhia poderá trazer mais negócios para a fábrica de Taubaté, em razão de a Siemens não ter unidade na América do Sul.

Via O Vale

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

2 × 4 =